Nós não amamos à toa

Não quero ver você triste assim, não
Que a minha música possa te levar amor – Criolo (ex-doido)

Nossa configuração como ser humano não é à toa. Este blog é infinito como minha mente, meus sonhos, minhas angústias. O ser humano e sua mente são mágicos e a dor no peito de um amor irrealizado, de um quase romance e de uma bola na trave é infinita. Nossa vida é mágica e transcende política, economia, celebridades, futebol. Eu não tenho escrito jornalismo aqui porque não me satisfaço internamente com quase nada que leio na internet, nos jornais. Como é possível ninguém falar do quão mágico é viver? Como é possível ninguém em jornais ter contestado o fato de não podermos voar, mesmo podendo pensar nisso? Não sonhamos à toa. Se um sonho pode ser tão real quanto um acontecimento rotineiro, ele é a nossa chama interna. Nossa roda-viva. Nossa partícula aceleradora para conquistar o desconhecido.

E como ninguém fala de coincidências? E das transmissões de rotinas na rua? Será que foi coincidência ou destino ter conhecido aquela pessoa? Ter passado por aquela humilhação, ter tido aquele amor, aquela amizade… Nós não vivemos à toa. Será que é coincidência você estar lendo isso aqui?

Eu já afirmei aqui mesmo neste blog que somos ilimitados. Mas precisamos dar um pontapé inicial para sermos infinitos. Uma bola parada é uma bola parada. Nossas mentes são como o mundo real, porém sem gravidade. Nestas condições, um chute numa bola é uma bola andando para sempre. É o sopro da vida. É entender o mito da caverna. É amar sem pudor, perdoar sem rancor e colocar sem pôr.

Nossa alma precisa beber de mágica, do absurdo, do transcendental. Porque somos tudo isso que eu acabei de mencionar. E o cômico é que realmente esses assuntos são inesgotáveis. Não são como pautas de jornais. Que caem como chuva em dia de tormenta. Que precisam ser batalhadas com o seu editor. Nossos sonhos não precisam de nada para acontecer, eles simplesmente acontecem. E isso não é mágico? Por que será que gostamos tanto de Harry Potter? Ainda há tempo de se sentir mais conectado com o mundo. De uma maneira muito mais vigorosa do que simplesmente fazer o mínimo, viver de inércia. Nada deve substituir o que você está vivendo agora. Tudo tem um porquê. Tudo é mágico. Não sonhamos à toa. É a sua vez de chutar a bola e marcar o gol infinito.

O que você está esperando para dar o pontapé inicial? Lembre-se. Não amamos nem sonhamos à toa.

Boa sorte.

Fabrício Bernardes

Pura Intuição

‘Creo que empiezo a entender, nos deseábamos desde antes de nacer’

Caro leitor, você já se parou para pensar no significado da palavra intuição? Pois bem, pouparei seu tempo e disponibilizarei o significado.

De acordo com o dicionário Michaelis,

intuição
in.tu.i.ção
sf (lat intuitione) 1 Conhecimento imediato e claro, sem recorrer ao raciocínio. 2 Pressentimento. 3 Teol Visão beatífica. 4 Filos Conhecimento claro, direto, imediato e espontâneo da verdade. 5 Sexto sentido que, segundo o ocultismo, se acha em processo de desenvolvimento no homem e que lhe permitiria ver sem olhos, ouvir sem ouvidos etc.

Como você pode ver, leitor, intuição é uma palavra que vem do latim e é, em poucas palavras, um pressentimento. Convido-lhe agora a assistir o clipe Las de la Intuición ou Pure Intuition, de acordo com sua preferência pelo idioma.

Talvez a frase mais marcante da música seja nos deseábamos desde antes de nacer ou we’ve been wanting each other since before when were born. Certo, mas o que isso tem a ver?

Calma, caro leitor. O objetivo desse post é desvendar esse clipe, o qual, na verdade, é uma grande metáfora. Sim, uma metáfora. Nesse caso, a existência humana e a maneira como acontecimentos se passam na vida de todos são metaforizados. Como é possível alguém querer outro alguém antes de nascer? Já estava tudo escrito? Quais são os mecanismos que fazem com que o mundo gire? Os pré-socráticos foram os primeiros a desenvolver tal ideia. A do Cosmos, que é a ordem do universo, trazendo uma noção de movimento, passagem e até, desordem. É a força motriz, que faz as coisas andarem.

Estamos na Era da Rapidez, Terceira Revolução Industrial, a tal da Modernidade Líquida. Por isso, somos forçados a achar respostas rápidas e simples para dúvidas intrigantes ou quase sem reposta. Consequentemente, nunca nos perguntamos qual é a força motriz do nosso mundo. E se algo que nós não esperávamos que acontecesse acontece, costumamos afirmar que é coincidência. Afinal, ninguém tem uma corda amarrada nos pulsos, todos temos livre-arbítrio e podemos fazer nossa própria história. Mas será que é tão simples assim? Será que é uma coincidência, caro leitor, você estar lendo esse texto? Pergunto-lhe novamente, é tão simples assim?

E se nada for por coincidência? E se tudo já estava escrito? E se realmente, você já desejava fulano desde antes de nascer?  Se assim for, o Cosmos não é pura coincidência. E quem sai ganhando nessa história? Bem, eu diria que as mulheres. E a explicação é simples, a mulher é intuitiva. Y las mujeres somos las de la intuición. And intuition’s always been a woman’s guide. Talvez, isso seja uma espécie de equilíbrio natural entre os sexos. A força física do homem contra a intuição da mulher.

Querido leitor, sei que você viu o vídeo que lhe indiquei. Agora que você já sabe que o clipe é uma metáfora, mostro-lhe que é também um paradoxo. A cantora, com essa música, explicita duas esferas conflitantes. A real e a imaginária. A primeira fica por conta do vídeo do clipe. Carro, dinheiro, plástico, peruca, perfume, vídeo, real, concreto. E a imaginária é simbolizada pela própria letra da música, já que é algo irreal, fala de amor, intuição, desejo, sorte. Uma dúvida muito pertinente surge quanto a essas duas esferas. Como conciliá-las? Ora, você é humano, você faz isso todo dia. O homem sabe conciliar real com irreal, mas fica a deixa de que é muito difícil. Quer dizer, o amor já nasce difícil? Sim.

Basta analisar o que nossa intuitiva Shakira afirma, nessa música, sobre amor. Love is only pain desguised as a kiss, El amor tal vez es un mal común y así como ves, estoy viva aún. Não são apenas essas frases que chamam atenção. A cantora deixa a entender que sabe qual será o final da história, porque sabe que tudo já está escrito. E como ela sabe disso? Ela é intuitiva. Ela manda e desmanda, deixa ganhar, se ensinua, se arruma e se perfuma. Mas por que ela faz tudo isso se já sabe o final? Será que ela sabe?

Será que você sabe? É uma questão de intuição.

Fabrício Bernardes